Füssen – Castelo de Neuschwanstein

Ao invés de ficarmos o quarto dia em Munique, decidimos ir para Füssen numa viagem bate-e-volta. Isso porque eu queria muito conhecer o castelo que inspirou o Castelo da Cinderela da Disney e é mundialmente famoso. Então dois dias antes reservei o ingresso pela internet, comprei o ticket de trem e lá fomos nós.

DSC_0263

Utilizei um post do blog do Viaje na Viagem que está hiper completo e me ajudou muito (como sempre). Então já me antecipei e comprei dois dias antes pela internet os ingressos para a visita ao castelo, já que eles têm hora marcada. Pelo site é possível comprar até um dia antes da visita, porém apenas até às 15h (horário local), pois eles te mandam uma confirmação por email na manhã seguinte. Há a possibilidade de comprar no local também, porém você poderá encontrar ingressos para horas e horas depois da sua chegada à cidade e pegar fila. Por isso, a compra antecipada é a garantia que você terá ingresso próximo da hora desejada, mas como nem tudo são flores, também é um risco que se corre, já que se você perder o trem (saídas de uma em uma hora apenas), pode perder o ingresso.

Entrei no site do Castelo Neuschwanstein e fui direcionada para outro site de compra de ingressos. Há um outro castelo em Füssen também, porém decidi focar e ir apenas em um, pois estava com receio de não dar tempo de fazer tudo. Informei quantidade de ingressos, data e horário que gostaria da visitar, língua desejada para o tour (as visitas são todas guiadas e tem até em português), dados pessoais e dados do cartão (não para efetuar pagamento, apenas como garantia).

Untitled

Recebi a confirmação da minha reserva de ingressos apenas na manhã seguinte. Nele constava um número que eu devia levar para retirar meus ingressos na bilheteria em Füssen e efetuar o pagamento lá. No site eu havia colocado que queria visitar o castelo no sábado às 12h30, porém como eles têm diversos horários de tours nas línguas desejadas, eles colocam um horário aproximado e por isso minha reserva foi confirmada para às 11h55.

Fui então comprar a passagem para Füssen. É possível comprar pelo site, porém eu decidi sobre a viagem quando já estava lá, então fui até a máquina da estação de trem de Munique, mas foi fácil e explico abaixo. Além disso, é melhor comprar na estação, pois você não tem que marcar horário fixo e rapidamente você compra e já está com o ticket na mão.

Antes do passo-a-passo uma observação importante: escolhi ir para Füssen no sábado, pois o Bayern-Ticket (Ticket da Baviera) tem um valor mais acessível de segunda a sexta APENAS a partir das 09h e achei que ficaria muito apertado o passeio. Porém, sábados, domingos e feriados é válido o dia todo. Se eu comprasse o ticket para dia de semana antes das 09h, a diferença no preço seria mais que o dobro quando consultei na máquina. E por que não fui dia de semana após às 09h? Pois demora 02h para chegar até a cidade, depois ainda tem que pegar 10 minutos de ônibus até a bilheteria para retirar o ingresso, e após isso subir até o castelo o que dá entre 20 a 30 minutos. Ou seja, achei que ficaria muito tarde.

Vá até a máquina (se comprar diretamente na bilheteria da estação custa € 1,00 a mais), escolha a língua, clique na opção “All offers” e depois “Leisure and Special Offers”.

20131213_091331 20131213_091341

Selecione “Bavaria-Ticket, other Bavaria offers” e depois “Bavaria-Tickets”.

20131213_091355 20131213_091408

Escolha a quantidade de pessoas e a classe do trem.

20131213_091426 20131213_091436

Clique no dia da viagem e depois em “do not collect”, que significa que você não retirará o bilhete em nenhum outro ponto, você retirará naquele momento na máquina.

20131213_091443 20131213_091510

Aparecerá todas as informações referentes a sua passagem. No meu caso foi num sábado para 02 pessoas, válido o dia inteiro na segunda classe (é inclusive válido para metrôs dentro de Munique, só não são válidos para trens InterCity e InterCityExpress). Valor total € 26,00/casal.

20131213_091537

Escolha a forma de pagamento (meu cartão de débito da Inglaterra não foi aceito não sei por que, portanto leve dinheiro como plano B para pagamento) e retire o ticket e o recibo.

20131213_091554 20131213_091723

 

 

 

 

   As saídas dos trens de Munique para Füssen geralmente partem aproximadamente 10 minutos antes de cada hora. Trens diretos ocorrem nas horas ímpares. Portanto, resolvi pegar o trem das 07h52. Obs: Informações de Dez/2013. Sempre confirme as informações antes de comprar o bilhete, pois eles podem ter mudado as programações.

Chegamos em Füssen por volta das 10h e logo ao lado de fora da estação já estava um ônibus esperando para Hohenschwangau/Castles. Pode ser o ônibus 73 ou 78 e como eles já sabem os horários dos trens, os ônibus já ficam no ponto esperando os passegeiros. Não é necessário pagar a viagem, pois já está incluso no bilhete comprado, portanto só mostre seu ticket de trem. Em menos de 10 minutos você chega no ponto de ônibus próximo a bilheteria.

Após uma caminhadinha de dois minutos você chega à bilheteria onde encontrará duas filas. Uma para compra de ingressos (há telas mostrando os próximos horários dos tours e as línguas) e outra para retirada. Nos dirigimos para a fila de retirada, mostramos o número da reserva, pagamos e retiramos os ingressos. Custo € 12,00/pessoa + € 1,80/pessoa pela reserva pela internet.

DSC_0076

DSC_0077

Retirado os ingressos, fomos rumo ao castelo. Como era começo de dezembro e as ruas cheias de gelo (não era neve fofinha… era gelo escorregadio), não tinham ônibus disponíveis para fazer o percurso até o topo (ônibus com tarifa a ser paga a parte). Portanto, tínhamos duas opções: charretes ou a pé. Escolhemos a pé, apesar de no folder que recebemos falar que o percurso até o topo era de aproximadamente 40 minutos. Para nossa surpresa levamos menos de 20 minutos (fomos caminhando e no embalo, sem parar).

DSC_0103 DSC_0096

Caso tenha comprado o ingresso antecipado, se programe para chegar a cidade pelo menos 01h30 antes da visita. Isso porque você terá que pegar o ônibus, retirar o ingresso na bilheteria (vai saber o tamanho da fila), subir até o topo e ainda vai tirar fotos.

DSC_0172

DSC_0167

20131214_143223_Richtone(HDR)

Chegando lá em cima, estava super cedo, pois demos muita sorte, já que não havia fila na bilheteria e subimos em 20 minutos. Resolvemos então ir até a ponte para tirar as famosas fotos do castelo que tanto vemos na internet (Marienbrücke). Tcharam!!!! Para minha tristeza ela estava fechada por causa da neve. Quase morri de arrependimento, pois eu tinha planejado tudo, mas não tinha lembrado desse “detalhe” que a ponte só é aberta na primevera, verão e começo do outono (dependendo do tempo).

Muito triste só me restou esperar, indignada comigo mesma, a hora da minha visita. Cada grupo tem um número que é chamado no painel na entrada do castelo. Assim que chamaram o meu, coloquei meu ingresso no leitor e fui para a fila. Um guia nos acompanha e explica cada cômodo que passamos. Fotografias não são permitidas dentro do castelo, infelizmente. O tour lá dentro demora apenas 30 minutos.

DSC_0160

DSC_0124 DSC_0148

DSC_0138

DSC_0179

Quando estava lá dentro, meu marido avistou uma pessoa na ponte. Fiquei intrigada com isso e saindo do castelo decidimos pegar o caminho (muito mais longo) do ônibus pela estrada e tentarmos chegar a tal ponte sem termos que pular a grade bem do lado do castelo. Andamos uns 45 minutos no meio da estrada cheia de neve e gelo, estava um pouco escorregadio, mas dava para andar. Quando chegamos próximo a ponte fomos pular uma cerca que dava acesso a ela e meu marido caiu, claro! Estava muito escorregadio e perigoso naquela parte e ficamos super arrependidos de termos ido até lá, mas já estávamos a alguns passos do local. Ele se machucou, mas seguimos até a ponte onde encontramos um casal tirando foto. Bati milhares de fotos, praticamente da mesma posição, pois estava com medo de me mexer e cair.

DSC_0302

DSC_0226 DSC_0216

DSC_0305

Decidimos então voltar para o castelo, mas pelo caminho que dava ao lado do castelo, aquele mais curto que tínhamos decidio não pegar na ida (só que era MUITO mais curto que o outro que pegamos). Foi a segunda pior besteira que fizemos. Estava praticamente uma pista de gelo com rampas no meio do caminho. Aí foi a minha vez de cair, claro! Sorte que não me machuquei, pois foi um tombo tímido. No caminho encontramos diversas pessoas indo em direção à ponte a passos de tartaruga, pois estava muito escorregadio. Enfim, chegamos ao lado do castelo e descemos mais 15 minutos pelo asfalto (por onde as charretes vão e por onde fomos ao castelo). Não aconselho ninguém a fazer o mesmo, pois estava muito perigoso e podíamos ter nos machucado gravemente. Por isso, respeitem as placas, pois elas estão lá por um motivo sério. E aconselho planejarem a viagem na primavera ou verão.

DSC_0342 DSC_0211

 

 

 

 

 

Na volta, já no asfalto, começou a nevar. Tinha uma barraquinha vendendo bolinho doce frito na hora. Eu estava quase congelando e com fome, então não resisti. Era parecido com um bolinho de chuva, porém com um creme dentro, uma delícia! Pena que intolerantes a lactose não podem nem chegar perto, coitado do meu marido.

DSC_0357

Voltamos para cidade, fomos até o lago Alpsee e tiramos fotos do Castelo de Hohenschwangau. Caso queira visitá-lo também, agende seu tour com um intervalo de no mínimo 02h entre as duas visitas, pois além da visita ainda você terá que caminhar de um para outro.

DSC_0366

DSC_0368

Depois andamos pelas lojinhas na cidade, compramos algumas coisas para comer, pegamos o ônibus até a estação e depois pegamos o trem das 16h06 até Munique. Na volta os trens geralmente saem aproximadamente 05 minutos após cada hora. Trens diretos ocorrem em horários pares. Obs: Informações de Dez/2013. 

Foi um horário bom, pois o trem não estava completamente lotado e não tivemos problemas em achar assentos livres (não há marcação de lugar). Conseguimos chegar cedo em Munique para aproveitarmos mais os Mercados de Natal, utilizarmos o mesmo bilhete que ainda era válido para metrô naquele dia e voltarmos para o albergue arrumar nossas malas, pois no dia seguinte cedinho era dia de voltarmos para Londres.