Puerto Iguazu

Aproveitei duas noites para sair para jantar com meus amigos durante a viagem para Foz e decidimos ir até Puerto Iguazu em alguns restaurantes indicados em blogs. No caminho do primeiro dia pegamos muito trânsito na fronteira e então decidimos dar uma passada no Duty Free tão famoso. Sinceramente não achei nada demais e ainda achei os preços caros se comparados a outros Duty Frees, portanto para nós não compensou a visita. Ao passarmos na fronteira pediram nos documentos e perguntaram onde iríamos. Digitaram os dados e nos liberaram.

Fomos em dois restaurantes:

El Tío Querido, restaurante muito bom, amplo, com show de tango e estacionamento. Preço médio por pessoa R$ 55,00 e a conta pode ser paga em reais.

img-inicio-1Aqva, restaurante bem menor e geralmente é necessário fazer reserva. Como fomos jantar cedo, conseguimos uma boa mesa que não estava reservada. Comida maravilhosa sendo o custo médio por pessoa de R$ 60,00 e a conta também pode ser paga em reais.

aqva-restaurant-iguazu

Anúncios

Cataratas do Iguaçu – Lado Argentino (Passeios)

Alguns passeios podem ser feitos dentro do parque como o Aventura Náutica (passeio de lancha), Gran Aventura (passeio de jipe pela mata + lancha nas cataratas), um passeio Ecológico e Isla San Martín (uma ilha onde há uma prainha e é possível fazer uma trilha).

Optei por fazer apenas o Aventura Náutica, que é um passeio similar ao Macuco Safari no lado brasileiro. O passeio custa aproximadamente R$ 60,00 e tem duração de 12 minutos. Há dois pontos de venda dentro do parque (um próximo a entrada do circuito inferior e outro perto do embarque no mesmo circuito). Há passeios frequentes, portanto é só comprar os ingressos e aguardar numa escadaria para o embarque.

DSC_0291

Nesse passeio a lancha chega próximo a duas quedas e no início é possível admirar e tirar fotos da paisagem de dentro do bote. Logo que você entra eles te entregam um saco estanque para guardar suas coisas, portanto após as fotos no bote é possível deixar tudo seguro para não molhar nenhum equipamento.

Antigamente as manobras eram mais radicais, mas depois do acidente que ocorreu em 2011 nesse lado argentino os passeios ficaram mais “suaves”, molhando menos que o lado brasileiro. Eles chegam bem próximos das quedas e é possível observar bem a paisagem.

DSC_0289

Como decidimos fazer esse passeio, ficamos o dia todo no parque. Chegamos por volta das 09h30/10h e saímos às 18h. Deu tempo para caminhar tranquilamente, tomar um lanche e fazer o Aventura Náutica.

Cataratas do Iguaçu – Lado Argentino

Quando pensamos nas Cataratas do Iguaçu, logo temos em mente aquela pergunta “Qual lado é melhor, brasileiro ou argentino?”. Na minha opinião cada um tem sua beleza e suas características e acredito que se complementam, portanto acho imperdível visitar os dois lados. Comentei sobre as cataratas no post anterior.

O ingresso do parque argentino custa 115 pesos para pessoas do Mercosul e só são aceitos pesos para compra dos ingressos. Após isso você tem alguns circuitos que podem ser realizados e o primeiro que fiz foi para a Garganta do Diabo onde é necessário pegar um trenzinho e depois caminhar por uma passarela de 1100 metros. Obs: Precisei pegar um trem da entrada do parque até uma estação intermediária e depois pegar outro que levou até o destino final.

Esse trem tem horários para as saídas, que podem ser de 30 minutos ou mais, portanto programe-se para não ficar tempo demais esperando.

DSC_0047

Após a caminhada você observará uma paisagem incrível e impactante. A força da Garganta do Diabo realmente é impressionante, mas quando está muito cheia fica difícil admirar sem ficar molhado e com a máquina fotográfica cheia de respingos na lente.

DSC_0070

DSC_0081

Para os demais circuitos é necessário voltar pela mesma passarela e pegar o trem até a estação intermediária. Lá encontram-se dois circuitos: o inferior e o superior, ambos com passarelas também.

DSC_0182 O circuito superior é menor e tem 650 metros, mas não deixa de ser lindo demais.DSC_0207 DSC_0218 DSC_0243

Já o circuito inferior tem o percurso mais longo, sendo necessário caminhar por mais de 2,5 km. Caso queira comer ou beber algo, existem lanchonetes entre os circuitos.

No lado argentino além de você ficar de queixo caído ao ver de pertinho a Garganta do Diabo e ver a abundância de água e toda a força de sua queda, também consegue admirar algumas quedas que não são possíveis ver no lado brasileiro e também as mesmas quedas do lado brasileiro, porém de ângulos diferentes.

Durante sua caminhada você encontrará companheiros de percurso.

DSC_0400

Como chegar:

– Fui ao parque de carro alugado (não esqueça a carta verde que é obrigatória) e confesso que é muito fácil chegar até lá mesmo sem GPS. O estacionamento custa 40 pesos.

– Uma outra opção é ir de táxi e a recepção do hotel nos informou que custa um pouco mais de R$ 80,00 do centro de Foz até lá.

– Você pode ir também de ônibus pegando uma linha até Puerto Iguazu e outra direto para o parque, “El Práctico”, ônibus que tem saídas a partir das 7:10 a cada 20 minutos.

– Ou então pode fechar um pacote através da agência de turismo que custa R$ 85,00 ida e volta por pessoa.