Dia 1 – Tunis

Como Londres tem um feriado grande (total de 4 dias) em Abril, decidimos ir para Tunísia. Como não tínhamos muito tempo, focamos em Tunis, Sidi Bou Said, Cartago e El Jem. Procurei na internet e os blogs que me ajudaram MUITO foram esses: Dicas e Relatos de Viagens e Joe’s Trippin (em inglês).

DSC_0100

Chegamos ao aeroporto de Tunis e já fomos trocar dinheiro para a moeda de lá. Isso porque não é permitida a comercialização da moeda deles TND (Tunisian Dinar) fora do país. Portanto, chegando lá, procuramos uma casa de câmbio e trocamos a moeda. Um ponto importante: guarde o recibo de compra da moeda, pois caso sobre dinheiro no fim da viagem, você pode ir a mesma casa de câmbio e trocar por dólar ou euro.

Obs: O máximo que consegui sacar no caixa eletrônico foi 200 TND. E a moeda de lá é um pouco confusa no começo, pois eles têm uma moeda de 100 que vale 0,10 TND e a moeda de 1/2 vale 0,50 TND. Os ingressos e contas vem com um número grande, porque é tudo multiplicado por 1.000. Então um ingresso que custa 10.000, na verdade são 10 TND.

Com dinheiro em mãos, fomos a procura de um táxi. Logo que desembarcamos já fomos abordados por vários taxistas, mas nos dirigimos para fora do aeroporto a procura de uma empresa de táxi. Enfim…. acho que é tudo igual, eles não ligam o taxímetro e me cobraram 30 TND (depois leia o último post que conto quanto é o valor verdadeiro com o taxímetro ligado).

Ficamos hospedados no Hotel Tiba que falo que nesse post. Deixamos nossas mochilas e saímos para dar uma volta. O hotel era muito próximo da Avenida Habib Bourguiba (uma das principais da cidade) que leva a Medina. Então passamos pela Catedral, que fica em frente a Praça da Independência e chegamos à Medina.

DSC_0147

Um fato curioso… muitas partes no meio da avenida (canteiros centrais e alguns outros pontos) estavam cercados por arame farpado. Quando perguntamos aos locais o porquê desse fato, eles nos lembraram que a Tunísia foi o berço da Primavera Árabe que deu início no final de 2010. Essa foi uma época revolucionária de manifestações e protestos que acabaram por derrubar muitos líderes naquele período. Há pouco tempo eles adotaram uma nova Constituição e um governo mais democrático. Porém, até hoje acontecem manifestações e para tentar diminuir esses movimentos, eles colocam os arames farpados a fim de deixar o espaço menor para aglomeração.

Outro ponto que nos chamou a atenção é que as pessoas atravessam as ruas como se não houvessem carros. Elas vão passando no meio dos carros, andando no meio da rua movimentada, etc. Morria de medo ao atravessar um cruzamento.

DSC_0007

Mas voltando ao nosso passeio, seguimos nessa avenida passando por muitos restaurantes/bares com mesinhas na calçada até chegarmos no Bab el Bahr ou também conhecida como Porte de France, um arco que era o portão de entrada para a Medina até a muralha ao seu redor ser destruída pelos franceses para criar a Place de la Victoire.

DSC_0024

 

DSC_0130

Exploramos as várias ruas da Medina (apenas para pedestres) admirando cada lojinha de souvenir, comida, lustres, roupas, sapatos, etc. Também fomos abordados inúmeras vezes por pessoas locais oferecendo ajuda e dizendo que tinham um lugar imperdível para nos indicar…. todos eles nos indicavam o mesmo lugar que diziam ter uma vista bonita a partir de um terraço e na ida (ou volta) passariam numa lojinha………… Fugimos de todas as ofertas, pois nos pareceu muito “tourist trap”. Além disso, cuidado ao comprar algo. Confira sempre o troco certinho, pois eles dão troco errado para ficarem com mais dinheiro.

DSC_0043

DSC_0041 DSC_0115

 

 

 

 

DSC_0105

Passamos por algumas mesquitas (não entramos, pois tentamos em duas e era proibida a entrada de não muçulmanos) e chegamos na Praça do Governo. Uma praça muito bonita e ampla com um monumento no meio da praça. Ali do lado passamos também pelo Ministério das Finanças.

DSC_0053 DSC_0098

 

 

 

 

DSC_0067

Praça do Governo

DSC_0088

Ministério das Finanças

Depois paramos para jantar num restaurante na própria Avenida Habib Bourguiba, mas me arrependi de ter sentado dentro do restaurante, pois é permitido fumar em ambientes fechados. Jantei no restaurante Le Parnasse e ao lado descobri uma doceria deles também. AMEI a doceria!!! Comi todo dia uma tortinha de morango muito boa por menos de £1.00!! Nem preciso falar que fiquei mega feliz, né?

Voltamos para o hotel, pois já era tarde e queríamos acordar cedinho no dia seguinte.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s